Forças Armadas reafirmam apoio a operações de segurança no Rio

1


Rio de Janeiro - Operação conjunta da polícia com Forças Armadas em oito comunidades do Rio, com ênfase no Jacarezinho (Vladimir Platonow/Agência Brasil)

Operações das Forças Armadas continuam no Rio de JaneiroArquivo/Vladimir Platonow/Agência Brasil

As Forças Armadas reafirmaram o apoio na manutenção das operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) no Rio de Janeiro. Em nota divulgada neste sábado (16), o Comando Militar do Leste (CML) esclareceu que não haverá descontinuidade nas ações e que há verbas previstas pelo Ministério da Defesa para a manutenção das ações conjuntas com a Secretaria de Estado de Segurança.

O comunicado é uma resposta ao anúncio de que as operações das Forças Armadas poderiam ser descontinuadas por falta de verbas, veiculado em parte da imprensa na sexta-feira (15).

“O Estado-Maior Conjunto, composto por representantes das três Forças Armadas e de órgãos de segurança pública federais e estaduais, permanece em condições de realizar o planejamento e a coordenação de ações integradas, mediante solicitação da Secretaria de Estado de Segurança”, diz a nota.

O comando ressaltou que verbas para sustentar as operações já estão sendo enviadas do Ministério da Defesa para as demais unidades militares, através dos procedimentos burocráticos normais.

“Recursos orçamentários federais referentes a ações já realizadas em apoio ao Plano Nacional de Segurança Pública no Rio de Janeiro estão sendo descentralizados pelo Ministério da Defesa e seguem em trâmites burocráticos até serem creditados nas unidades administrativas envolvidas na logística das operações. À medida que novas ações ocorrerem, outros recursos serão descentralizados.”

Federação das Indústrias

Neste sábado, a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) emitiu nota considerando imprescindível o retorno dos militares às operações de segurança.

“O Sistema Firjan vem a público para manifestar que considera imprescindível o retorno das tropas federais às operações de combate ao crime no Estado do Rio de Janeiro. Quando as ações federais tiveram início, no final de julho, houve a promessa de que se estenderiam até 2018. A população fluminense conta com a preservação deste compromisso”, diz a nota.

A entidade, que representa o segmento industrial do estado, fez um apelo para que seja feita uma reunião entre os agentes de segurança estaduais e federais, a fim de garanrtir a permanência das tropas no Rio.

“É algo fora de questão imaginar que o Rio possa prescindir da tão necessária e sempre relevante ação de Marinha, Exército, Aeronáutica, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional de Segurança Pública e Agência Brasileira de Inteligência. É obrigação do Governo do Estado do Rio de Janeiro reunir-se de imediato com o Ministério da Defesa a fim de elaborar, com a devida urgência, uma estratégia conjunta para encontrar as soluções necessárias à permanência das tropas federais no Rio de Janeiro.”

Secretaria

Procurada para se posicionar sobre o assunto, a Secretaria de Segurança divulgou nota elogiando as ações conjuntas realizadas com as forças federais.

“A Secretaria de Estado de Segurança (Seseg), por meio das polícias Civil e Militar, com o apoio de Forças Federais, deflagrou, no último mês, três grandes operações. As ações viabilizaram a prisão de 88 pessoas. Enquanto as polícias Civil e Militar atuavam nas comunidades no cumprimento de mandados, as Forças Armadas ficaram responsáveis pelo cerco no entorno das áreas e garantindo a ordem sem que nenhum distúrbio tenha sido registrado nas grandes operações. A ação das Forças Armadas nas operações se soma a um extenso e exitoso histórico de ações integradas com a Seseg”, destacou a secretaria.

Compartilhar: Facebook Google Plus Twitter 



comments icon 0 comments
0 notas
Visto 40
bookmark icon

Escreva um comentário...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *