Romaria Fluvial tem portaria de segurança e bandeira divulgadas


A Secretaria de Estado de Turismo (Setur), o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese-PA) e a Marinha do Brasil – via Comando do 4º Distrito Naval e da Capitania dos Portos da Amazônia Oriental – apresentaram, na manhã desta sexta-feira (15), a portaria de segurança de navegação, a pesquisa do “Perfil dos Romeiros do Círio Fluvial”, a bandeira de identificação das embarcações e adesivos dos jet skis que participam da procissão e, ainda, o regulamento técnico do Concurso de Ornamentação das Embarcações da Romaria Fluvial do Círio de Nazaré 2017.

O vice-almirante e comandante do 4º Distrito Naval, Edervaldo Filho, foi enfático sobre a Portaria nº 308, que promulgou as regras de comportamento para as embarcações que participam do Círio Fluvial, no percurso náutico do Distrito de Icoaraci para o Porto de Belém. “O cumprimento destas normas é responsabilidade e obrigação de qualquer comandante de uma embarcação. Ele tem o dever de informar, por exemplo, sobre coletes salva-vidas e organização dos botes infláveis. A desobediência aos procedimentos de segurança é a maior causadora de acidentes”, afirma.

Para o secretário de Estado de Turismo, Adenauer Góes, a parceria com a Marinha vem se fortalecendo Círio após Círio e já chega ao sétimo ano de ação conjunta. “A bandeira serve para identificar aquela embarcação que fez a sua inscrição na Capitania dos Portos, o que, de acordo com a portaria que foi publicada pela Marinha, constitui um passo importante na questão da organização da Romaria Fluvial”, explica. “Este ano, nossa expectativa é que haja um incremento no número de embarcações participantes em relação ao ano passado, quando tivemos mais de 300 inscritos na Capitania”, conta.

A pesquisa do “Perfil dos Romeiros da Romaria Fluvial” revelou que os principais estados de origem dos romeiros participantes do evento em 2016 foram o Pará (66,2%), Rio de Janeiro (4,6%) e São Paulo (4,4%), com predominância do sexo feminino (62%), de católicos (91%) e de participantes vindos pela primeira vez (57%). Além disso, 67% disseram pagar para participar da Romaria Fluvial e 89% disseram que pagariam caso fosse preciso para marcar presença na festividade. A fé (34%) foi considerada o melhor aspecto da procissão e 97% dos presentes disseram ter intenção de retornar.

O capitão de Mar e Guerra e comandante da Capitania dos Portos, José Alexandre Santiago, apresentou a portaria nº 308. Segundo ele, o documento determina um isolamento de proteção ao navio “Garnier Sampaio”, que transportará a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré. Também define que a inscrição será validada somente após o recebimento da bandeira e dos adesivos fornecidas pela Setur, e deixa claro que não serão aceitas inscrições das embarcações que cometeram infrações durante a Romaria Fluvial de 2016, entre outras medidas preventivas e exigências de autorizações para melhor organização e segurança do evento.




comments icon 0 comments
0 notas
Visto 31
bookmark icon

Escreva um comentário...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *