Saúde e Bombeiros voltam a intensificar visitas domiciliares contra o Aedes


bombeiros aedes saudeA Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), em parceria com o Corpo de Bombeiros Militar, volta a realizar, de forma intensificada, visitas domiciliares em todos os municípios goianos a partir de outubro. A iniciativa, que integra a bem-sucedida ação Goiás contra o Aedes, visa eliminar os possíveis focos do mosquito Aedes aegypti, conscientizar a população sobre a adoção de condutas rotineiras para manter o ambiente livre dos criadouros e prevenir casos de dengue, zika e chikungunya, transmitidas pelo inseto.

O coordenador-geral de Controle de Dengue, Murilo do Carmo, informa que a intensificação das visitas domiciliares estava prevista para ser iniciada em novembro, quando há a consolidação do período chuvoso em Goiás. A SES-GO e o Corpo de Bombeiros, entretanto, decidiram antecipá-la em função da constatação de circulação do vírus tipo 2 no Estado. Este tipo de vírus, que predominou no Estado em 2002, leva ao agravamento dos casos e óbitos.

“Pretendemos, antes de tudo, prevenir uma possível epidemia de dengue em Goiás”, alerta Murilo do Carmo. A parceria com o Corpo de Bombeiros, firmada no fim de 2015, é extremamente valorosa. A quantidade de visitas domiciliares passou de aproximadamente 9 milhões, verificada em 2015, para cerca de 18 milhões, em 2016. Neste ano, até agosto, foram realizadas cerca de 13 milhões de visitas aos imóveis residenciais e comerciais em todo o Estado.

Neste ano, conforme os dados da SES-GO, a força-tarefa possibilitou a diminuição de 51% dos casos de dengue neste ano em Goiás, de 63,51% dos casos de zika e de 7% dos casos confirmados de chikungunya.

Referência e georreferenciamento

A parceria da SES-GO com o Corpo de Bombeiros Militar tem sido tão exitosa na execução da força-tarefa que a ação se tornou referência no País. Durante o ano de 2016, o índice de infestação do Aedes em todo o território goiano caiu de 3,99% para 0,39%. Trinta municípios alcançaram o mérito de zerar os índices de infestação do vetor e foram certificados temporariamente como livres do Aedes.

O trabalho é desenvolvido por equipes compostas por agentes comunitários de saúde e agentes de combate de endemias e monitorado, em tempo real, por componentes do Corpo de Bombeiros. Distribuídos em quadras, os trabalhadores da saúde visitam os imóveis residenciais e comerciais. Eles conversam com os moradores, identificam os criadouros e esclarecem como os focos do Aedes devem ser eliminados de forma rotineira. Na maioria das vezes, são apontados como criadouros garrafas, copos descartáveis, calhas e caixas d’ água.

A força-tarefa Goiás contra o Aedes também inovou na busca ao mosquito. Em setembro do ano passado, a SES-GO adotou um sistema próprio para o monitoramento dos focos de Aedes aegypti e das ações de combate ao mosquito no Estado. O novo sistema foi desenvolvido pela Gerência de Tecnologia da Informação (GTI) e pela coordenação de TI do Centro de Informações e Decisões Estratégicas em Saúde – Conecta SUS Zilda Arns Neumann, sob a orientação técnica Superintendência de Vigilância em Saúde e em parceria com o Corpo de Bombeiros Militar e tem como fundamento o georreferenciamento.

O georreferenciamento e o uso de um novo sistema possibilita o monitoramento dos seguintes indicadores: número de imóveis visitados, número de imóveis trabalhados, número de imóveis fechados, número de imóveis com foco, número de imóveis com visitas recusadas, número de imóveis com visitas recuperadas, além das porcentagens de imóveis trabalhados, fechados, com foco e visitas recusadas, além do acompanhamento das notificações georreferenciadas e a realização de bloqueios de transmissão.




comments icon 0 comments
0 notas
Visto 27
bookmark icon

Escreva um comentário...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *